ღ SEGUIDORES ღ

Plantas suculentas são belas em suas variedades de tamanhos, formatos, texturas e cores. O pouco que entendo sobre elas, são de informações que pesquisei. Assim como os nomes e classificações. Já perdi algumas e continuo uma aprendiz, pois parte da experiência, são com as próprias plantas. Tanto as Suculentas como as Folhagens ornamentais tem suas preferências. Cada uma delas ensina: local preferido, ventilação, quantidade de regas, luminosidade adequada, horas expostas ao Sol, temperatura ambiente, solo adequado, boa drenagem e, assim todo cuidado específico com cada uma delas deixa o seu jardim, sua casa um ambiente agradável, uma energia que propõe bela harmonia com a natureza.
ღO AMBIENTE COM VERDE DÁ MAIS VIDA E ENCANTA...POIS VERDE É TUDO DE BOM!

1 de jan de 2013

Ano Novo


Todo o dia é ano novo.
Todo dia é ano novo
Entre a lua e as estrelas
num sorriso de criança
no canto dos passarinhos
num olhar, numa esperança...
Todo dia é ano novo
na harmonia das cores
na natureza esquecida
na fresca aragem da brisa
na própria essência da vida.
Todo dia é ano novo
no regato cristalino
pequeno servo do mar
nas ondas lavando as praias
na clara luz do luar...
Todo dia é ano novo
na escuridão do infinito
todo ponteado de estrelas
na amplidão do universo
no simples prazer de vê-las
nos segredos desta vida
no germinar da semente.
Todo dia é ano novo
nos movimentos da Terra
que gira incessantemente.
Todo dia é ano novo
no orvalho sobre a relva
na passarela que encanta
no cheiro que vem da terra
e no sol que se levanta.
Todo dia é ano novo
nas flores que desabrocham
perfumando a atmosfera
nas folhas novas que brotam
anunciando a primavera.
Você é capaz, é paz 
É esperança
Todo dia é ano novo
no colorido mais bel
odos olhos dos filhos seus...
Você é paz, é amora alegria de Deus.
Não há vida sem volta
e não há volta sem vida
no ciclo da natureza
neste ir e vir constante
No broto que se renova
na vida que segue adiante
em quem semeia bondade
em quem ajuda o irmão
colhendo felicidade
cumprindo a sua missão.
Todo dia é ano novo...portanto...feliz ano novo todo dia!
(desconhecido)

22 de dez de 2012

Ornamentos Natalinos com Suculentas

Encontrei um Blog maravilhoso de Suculentas, fiquei encantada e vou compartilhar. Tenho a certeza que, para quem tem interesse com Suculentas, vai adorar. Estas fotos copiei do Blog, como é Natal, achei propício para mostrar um pouco das fotos, que são lindas e, é apenas uma demonstração das maravilhas que há por lá. O nome do Blog 
ABC das Suculentas
Lidiane Piekarski
O Banner do Blog está na barra lateral do meu Blog, clique e visite.


Por: Fairy-scape.com
Por: Tobbieanne.
Por: Projectwedding.com
Por: Southern California.
Árvore de suculentas no Allan Gardens Conservatory-Toronto 2008.
Aproveito estas belas fotos para desejar FELIZ NATAL à todos.

✥Plantas de espécies variegatas (epíteto específico variegata)


No momento tenho me interessado em saber mais sobre nomenclatura das plantas, e de certa maneira, este post tem seguimento, as postagens anteriores. Pela curiosidade em detalhes que me interessam, fui a busca esclarecendo algumas dúvidas. Na minha coleção de plantas, algumas espécies, tanto as suculentas como as folhagens ornamentais, possuem folhas em tons variados. Aprecio o matizado peculiar de cada uma delas. 
Estas plantas recebem na nomenclatura o termo variegata. 
Pelas pesquisas vejo citado de várias formas como: 
variegata ;  'Variegata' ;  f. variegata ;  var. variegata 
Para entender como era o modo correto, lendo sobre nomenclatura das plantas, entendi que todas estão corretas, depende de cada caso.

O epíteto específico variegata é latim e significa irregularmente manchado, referindo-se às bandas atraentes manchado na superfície das folhas.
Fonte: http://www.plantzafrica.com/plantab/aloevariegata.htm

Variegação
Variegação é o aparecimento de zonas de cores diferentes nas folhas, e às vezes nos caules de plantas. Estas plantas dizem-se variegadas. Isto pode ser devido a um número de causas. Em alguns a variegação é atraente e ornamental e jardineiros tendem a preservar estes. O termo também é usado às vezes para se referir ao zoneamento de cor em flores. 
Nomenclatura
Por convenção, o termo em itálico variegata como a segunda parte da América binomial nome, indica uma espécie encontrados na natureza com variegação (Aloe variegata). O mais comum, não em itálico, inclusão de 'Variegata' como o terceiro elemento de um nome indica uma variegada cultivar de um pai não variegata (Aucuba japonica 'Variegata'). No entanto, nem todas as plantas variadas têm essa marca Latina, por exemplo, muitas cultivares de Pelargonium ter alguma variegação zonal em suas folhas. Outros tipos de variegação pode ser indicada, por exemplo, Daphne odora 'Aureomarginata' tem amarelo edging nas suas folhas.
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Variegation
Creio que f. variegata é usado neste caso: 
FORMAS - Outro conceito parecido com o de Variedade e o de Subespécie. Ocorrem também de um  modo espontâneo na natureza. São plantas que se distinguem em pormenores como a cor de uma folha ou a cor de uma flor. 
Exemplo: Fagus sylvatica f. purpurea
E a designação var. variegata creio ser usado neste caso:
VARIEDADES - São plantas diferentes das da espécie em que surgiram em resultado do aparecimento natural e espontâneo de características novas. Por exemplo, o Cupressus sempervirens, conhecido como o cipreste dos cemitérios, tem uma forma que lhe é dada pelo fato dos seus ramos serem quase verticais. Contudo, surgiram alguns ciprestes com ramos mais horizontais, característica que transmitiram à sua descendência, dando origem a uma variedade dentro da espécie. 
Exemplo: Cupressus sempervirens var. horizontalis
Fonte: http://www.mauroparolin.pro.br/nobotanica.pdf

20 de dez de 2012

✽Nomenclatura das plantas e classificação (nome botânico ou nome científico é um nome universal)

Tenho postado as minhas plantas, procurando na medida do possível colocar a nomenclatura correta conforme vou pesquisando. De tempos em tempos estava conferindo os nomes, em vários sites, mas às vezes há uma incerteza por perceber que tem uma certa mescla nos nomes de algumas plantas e que essa confusão também é de muitos. 
Mas é compreensível pelo fato que existem os sinônimos, variedades, cultivares, e híbridos de muitas espécies de plantas pelo mundo. Também tem algumas que pertenciam a um gênero e são transferidas para outro. 
Fui buscar informações em muitos sites.
No post anterior coloquei o tema sobre Nomeação das plantas, para se entender como é feita a identificação da planta seguindo uma regra. Eu mesma não entendia como é a regra da classificação e de certas abreviações na nomenclatura. 
Enfim, me ajudou a verificar o nome de algumas das minhas plantas, mas havia certos detalhes que gostaria de saber. 
Encontrei uma informação que explica esse tema de um modo simples, esclarecendo informações de que precisava, para um entendimento melhor, facilitando na busca pela nomenclatura correta das plantas. Acrescento nesta postagem.  
Apesar de conseguir identificar minhas plantas não posso dizer se todas estão o nome correto, pois sou uma apreciadora que se baseia na informações de vários sites. 
Como tenho curiosidade de saber sobre cada espécie e como cuidar de cada uma delas, também estou em constante busca de descobrir a classificação de todas. 
NOMENCLATURA BOTÂNICA*
O criador da nomenclatura botânica e da classificação das plantas foi Carl von Linné (Lineu, em português), botânico, zoólogo e médico sueco. Nasceu em 1707 e morreu em 1778.
O QUE É O NOME BOTÂNICO?
O nome botânico ou nome científico de uma planta é um nome universal, igual em qualquer parte do mundo, ao contrário dos diferentes nomes populares pelas quais é conhecida uma planta em diferentes locais do Mundo e até dentro do mesmo país.
COMO SE CONSTRÓI O NOME BOTÂNICO?
A classificação das plantas está organizada em categorias: 
Reino / Divisão / Classe / Ordem / Família / Gênero / Espécie. 
Isto é, o Reino as Plantas é composto de várias Divisões, cada Divisão possui várias Classes, cada Classe possui várias Ordens, e assim sucessivamente até à Espécie. E ainda se pode ir mais longe e encontrar subespécies, variedades e formas dentro da mesma espécie.
O nome botânico de uma planta é constituído por 2 palavras, a primeira das quais refere o Gênero a que a planta pertence e a segunda especifica a planta dentro do Gênero onde está integrada. Note-se que uma planta se identifica sobretudo pela Espécie a que pertence porque possui características comuns a plantas idênticas que as distinguem facilmente das outras (para o ser humano)
Por exemplo, o nome da planta que entre nós é conhecida como Costela de Adão é Monstera deliciosa. Neste caso, o nome botânico da planta que conhecemos como Costela de Adão diz-nos que esta Espécie pertence ao Gênero "Monstera". Este nome é universal e identifica a mesma planta em qualquer lugar do Mundo. Deve dizer-se que o nome botânico de uma planta se escreve em Latim e que na linguagem técnica e científica não é alvo de tradução para línguas locais. Deste modo, escreve-se do mesmo modo em todos os países. Finalmente, a redação correta do nome botânico implica que seja escrito em itálico, que a primeira palavra comece por maiúscula e a segunda por letra minúscula. Seguem-se alguns conceitos adicionais que implicam diferentes formas de construção do nome botânico

HÍBRIDOS São o resultado do cruzamento de duas espécies diferentes. Por exemplo, cruzando a espécie Spiraea albiflora com a espécie Spiraea japonica obtemos o híbrido Spiraea x bumalda. Assim, quando entre as duas palavras encontramos um "x" sabemos que estamos  perante um híbrido
Exemplo: Spiraea x bumalda 
Se o x aparecer antes das duas palavras estaremos perante um híbrido que resulta do cruzamento de duas espécies de dois gêneros diferentes. São casos raros porque em 99% dos casos os híbridos resultam do cruzamento de duas espécies do mesmo gênero. Estes cruzamentos podem ocorrer espontaneamente na natureza ou serem produzidos pelo homem. 
Exemplo: x Cupressocyparis leylandii
CULTIVARES São o resultado de um trabalho de seleção de uma característica de uma planta que é sujeita a técnicas de cultivo até que se obtenha uma planta nova com a característica pretendida, diferente da original. Por exemplo, o Nerium oleander aparece na natureza com flores de cor rosa mas existem cultivares de Nerium oleander de flor branca (Nerium oleander 'Mont Blanc'), de flor vermelha (Nerium o leander 'Atropurpureum'), de flor amarela (Nerium oleander 'Aurantiacum') e de outras cores, obtidos após a aplicação destas técnicas de seleção. Note-se que neste caso o último nome não se escreve em itálico, pode não ser latino e aparece entre aspas. 
Exemplo: Nerium oleander 'Mont Blanc' 
Na linguagem vulgar é frequente chamar variedade ao cultivar mas é incorrecto porque o cultivar é fruto do esforço humano e a variedade é um fenómeno espontâneo da natureza
VARIEDADES São plantas diferentes das da espécie em que surgiram em resultado do aparecimento natural e espontâneo de características novas. Por exemplo, o Cupressus sempervirens, conhecido como o cipreste dos cemitérios, tem uma forma que lhe é dada pelo fato dos seus ramos serem quase verticais. Contudo, surgiram alguns ciprestes com ramos mais horizontais, característica que transmitiram à sua descendência, dando origem a uma variedade dentro da espécie. 
Exemplo: Cupressus sempervirens var. horizontalis.
SUBESPÉCIES Conceito semelhante ao de Variedade. Ocorrem também de forma espontânea na natureza. São plantas que se distinguem dentro da espécie por força das condições geográficas do território onde se desenvolveram as quais selecionaram características da planta mais adequadas a esse terreno
Exemplo: Quercus ilex subsp. rotundifolia
FORMAS Outro conceito parecido com o de Variedade e o de Subespécie. Ocorrem também de um  modo espontâneo na natureza. São plantas que se distinguem em pormenores como a cor de uma folha ou a cor de uma flor. 
Exemplo: Fagus sylvatica f. purpurea
Independentes de sua origem, os nomes dos táxons são tratados como nomes latinos
✦ Gênero e espécie não tem terminações fixas
✦ O nome de uma planta é uma combinação de dois nomes (binária), sendo o primeiro o nome do gênero e o segundo o epíteto específico.
✦ Todo nome deve ser acompanhado pelo nome do autor da espécie, e deve aparecer destacado do texto (itálico).
✦ Ex.: Caesalpinia echinata L. (Pau-brasil) 

Nomenclatura Botânica
Caesalpinia echinata L.
= quem descreveu (nome) a planta frequentemente abreviado, e.g. Linnaeus = L. or Linn.
a. nome do gênero - Caesalpinia
b. epíteto específico - echinata
c. autoria - L.
●quando uma espécie muda de gênero, o nome do autor do basiônimo (primeiro nome dado a uma espécie) deve ser citado entre parênteses, seguido pelo nome do autor que fez a nova combinação.
●Ex.: Tabebuia alba (Cham.) Sadw.; basiônimo : Tecoma alba Cham

Normas para redação de nomes científicos
1. Todas as letras em latim devem vir em itálico (cursiva), sublinhadas ou negrito;
2. A primeira letra do gênero ou categoria superior há de vir em maiúscula;
3. O resto do nome vem em minúscula (exceto em alguns casos em que se conserva a primeira letra de epíteto específico)
4. Os nomes dos híbridos vem precedidos de x. 
Ex. x Rhaphanobrassica; Mentha x piperita
Pronuncia de nomes científicos
1. Os ditongos ae e oe se lêem como e  Ex. laevis; rhoeas
2. A combinação ch se lê k; Ex. Chenopodium
3. A combinação ph se lê f; Ex.Phaseolus vulgaris

14 de dez de 2012

❀Nomeação das plantas (nome botânico ou nome científico)

   Quando iniciei o lazer com plantas, na procura pela identificação, havia uma curiosidade em saber porque algumas plantas tem um nome composto de vários nomes e certas abreviações. De certa maneira complicado para gravar e mais ainda para se pronunciar. Digo dos nomes científicos, com toda uma classificação. Muitas plantas conhecemos pelo nome popular e, essa mesma planta é conhecida por vários nomes incluindo o cientifico e sinônimos, além de nomes populares dependendo de cada região e país. Por isso em pesquisas a vários sites da Web pelo mundo, encontramos uma mesma planta com várias designações. Depois de alguns anos ter iniciado lazer com plantas, ainda tenho algumas suculentas na minha coleção que não obtive a nomenclatura exata.(foto do post) E devido as minhas buscas pelo nome das plantas, achei que seria bom colocar este tema. 
Abaixo sites a respeito de nomenclatura. 
Nomenclatura
Nomenclatura é o sistema organizado de nomes dados aos organismos biológicos bem como dos princípios que presidem a essa categorização. O termo vem do latim nomen (nome) e calare (chamar), o que literalmente significa “chamar pelo nome”. Através da nomenclatura impõem-se uma série de regras que facilitam a atribuição de nomes aos organismos permitindo a comunicação entre os cientistas.
A atribuição de nomenclatura no sistema atual pressupõe alguns requisitos, sendo os mais importantes:
◊ unicidade: cada nome de um determinado organismo deve ser único permitindo identificar de imediato o taxon a que se refere.
◊ universalidade: os nomes utilizados têm de ser compreendidos e aceitas internacionalmente
◊ estabilidade: quaisquer alterações devem ser bem justificadas, analisadas e aprovadas pelas entidades competentes para evitar equívocos.
As regras da nomenclatura científica biológica são da responsabilidade do Congresso Internacional de Botânica e, no caso da Zoologia, existe uma comissão que assegura que independentemente do local onde se encontre o ser vivo terá um único nome que será válido.
Foi imposto pela comunidade internacional que nenhum nome anterior a 1 Janeiro de 1758 seria válido. Assim, muitos taxa vêm nomeados por Linnaeus 1758 em referência à publicação da 10a edição do Systema Naturae.
As principais regras da nomenclatura hoje aceitas são:
 na designação científica os nomes são sempre em latim ou latinizados;
 os nomes científicos escrevem-se em itálico ou se for num texto manuscrito deverão ser sublinhados
 a espécie deve ser reconhecida por uma nomenclatura binomial, em que a primeira palavra designa o gênero e a segunda o restritivo específico da espécie
 o nome do gênero é um substantivo, simples ou composto, escrito com inicial maiúscula
 o restritivo específico é um adjectivo escrito só com minúsculas
 após o nome da espécie, vem o nome do autor e a data em que pela primeira vez o organismo foi descrito
 a designação de subespécie é trinominal, acrescentando-se um terceiro termo em latim correspondente ao restritivo subespecífico
 todos os taxa superiores à espécie têm nomenclatura uninominal
◊ em Zoologia, o nome da família é construído a partir do nome do gênero mais representativo acrescentando o sufixo –idae
 em Botânica, o nome da família é construído a partir do nome do gênero mais representativo acrescentando o sufixo –aceae
Fonte: http://wikiciencias.casadasciencias.org/index.php/Nomenclatura   
(Informação mais detalhada) 
Orientações sobre Nomenclatura Biológica
Introdução Nomenclatura biológica é uma ferramenta que permite que as pessoas se comunicarem sobre plantas e animais sem confusão.
Os termos, taxonomia e nomenclatura são freqüentemente confundidos, mas têm significados bastante distintos. Taxonomia é a ciência da classificação, descrever e caracterizar os diferentes grupos (taxa) de organismos vivos. Nomenclatura, por outro lado, diz respeito a dar nomes aos entidades ou grupos diferentes.
Os nomes científicos 
Os nomes científicos são essencialmente "binômios 'consistindo no nome de um gênero seguido pela nome da espécie (o que é chamado de plantas específico "epíteto '). Este sistema de nomenclatura plantas e animais se manteve praticamente inalterado desde Linnaeus desenvolveu em meados da década 18 ª Século. A convenção é que os nomes científicos são escritos em itálico com uma inicial maiúsculas para o gênero e todas as letras minúsculas para o nome da espécie. A classificação não é itálico. Nomes de espécies são essencialmente de natureza adjetiva e, portanto, deve concordar com o gênero do nome genérico para o qual eles estão ligados. Isso se reflete nas terminações do nomes. Quando uma espécie é transferida de um gênero para o outro, a fim de as espécies nome também pode ter que ser alterada para concordar com o nome do novo gênero. 
Por exemplo:  Melaleuca nervosa / Callistemon nervosus  
Um nome de gênero podem ser utilizados no seu próprio. Nome da espécie, entretanto, não pode, e deve sempre seguir um nome de gênero ou a sua inicial. O nome do gênero deve ser escrito em tempo integral a primeira é utilizada e, em seguida, pode ser abreviada para uma letra inicial e ponto final quando é inequívoca a fazê-lo. 
Por exemplo: 
 Eucalyptus miniata 
 (Pode ser abreviado para E. miniata).
Um terceiro nível ou patente pode ser aplicada para delinear mais taxa em subespécies, variedades, etc 
Nas plantas, existem vários níveis abaixo de espécies que podem ser utilizados. Estas fileiras infraspecíficas são subespécie, variedade, subvariedade, forma e subforma. Os três últimos são raramente usados. Em Apesar de haver uma hierarquia, qualquer taxon pode ser caracterizada apenas usando o trinômio (Gênero, espécie e infraspecies), com indicação da classificação. Os nomes devem ser exclusivos em um espécie (isto é, não se pode ter uma subespécie e variedade das mesmas espécies com a mesma nome mas com diferentes circunscrições). Com as plantas a classificação deve ser sempre citados - geralmente como uma abreviatura - e não é em itálico. 
 Eucalyptus globulus subsp. bicostata 
 Eucalyptus globulus var. compacta 
Ocasionalmente, a hierarquia está incluído, mas isto não é necessário para definir a forma inequívoca táxon. 
 Leucochrysum albicans subsp. albicans var. tricolor (= Leucochrysum albicans var. tricolor). 
Os autores de um nome de espécie podem ser incluídos, mas mais frequentemente do que não, a sua inclusão pode levar a erro quanto eles raramente são minuciosamente verificados antes da inclusão. Eles só são realmente necessário que o mesmo nome pode ter inadvertidamente ter sido dado a duas diferentes taxa (Homônimos) dentro do mesmo gênero. A inclusão do nome do autor seguindo as espécies (Ou infraspecies) nome pode, então, distinguir os dois nomes. Com nomes de animais o autor nome é sempre seguido por um ano, com plantas, o nome do autor ou abreviação é dada sozinho.
Plantas:
 Melaleuca nervosa (Lindley) Cheel 
 sinônimo: Callistemon nervosus Lindley 
(Lindley originalmente descrita como uma Callistemon; Cheel mais tarde transferiu para o gênero Melaleuca). 
Com plantas - para a subespécie tipo ou variedade, etc, onde o nome é o mesmo infraespecíficos como o nome da espécie (autodenominação), o autor do nome da espécie é usada e segue o específico epíteto. 
 Leucochrysum albicans (A.Cunn.) Paul G.Wilson subsp. albicans
Para as plantas, abreviação de nomes de autores seguem um padrão internacional (Brummitt & Powell, 1992).
A.Cunn. = Allan Cunningham 
L. = Linnaeus 
Lf = Linnaeus filius (filho de) 
Às vezes, um espaço é dado entre iniciais e sobrenome, outros não. É uma questão de de preferência. Recomendamos que o espaço ser omitido em abreviaturas.
 Sinônimos 
Sinônimos são nomes que já foram aplicados a um taxon, mas agora são geralmente substituídas. Eles podem ser nomes originalmente atribuído a um gênero diferente e têm o mesmo epíteto específico ou o nome - estes são baseados no voucher ou mesmo espécime e são conhecido como sinônimos nomenclaturais. 
 Melaleuca nervosa 
 sinônimo: Callistemon nervosus 
Como alternativa, uma vez que eles podem ter sido descrito como um taxon separado, mas estudos posteriores têm determinado que eles sejam do mesmo grupo taxonômico - estes têm, geralmente, as amostras de tipo diferente e são conhecido como sinônimos taxonômicos.
  Dromaius ater
 sinônimo: Dromaius menores 
Em espadilha, sinônimos estão ligados através de uma convenção old-name/new-name com o velho nome ou sinônimo (chamado sinônimo júnior em zoologia) que está sendo marcado como não-atual, e o novo nome (o sinônimo sênior em zoologia) que está sendo marcado como o nome atual. Em espadilha, onde há uma diferença de opinião sobre o que deve ser considerado como o nome 'Actual', temos invocado conselho de ABRS, uma revisão recente aceita, ou pareceres recebidos através de análise científica.
Anteriormente listados nomes e nomes inéditos manuscritos são incluída no espadilha da mesma maneira como outros sinônimos.
Abreviaturas e contrações 
Há uma série de abreviaturas e contrações importantes utilizados na nomenclatura: 
cf. - Conferência (compare com ...) 
cv. - Cultivar 
f. - Formulário / forma 
fam. - Família 
gen. novembro - Gênero novus - um gênero recentemente descrito 
INED. - Ineditus (não publicado) 
ms. - Manuscrito (nome manuscrito inédito - geralmente segue um nome de autor) 
pp - Pro Parte (em parte)
seita. - Seção / sectio 
s. lat. - Sensu lato (no sentido amplo) 
s. str. - Stricto sensu (em sentido estrito ou estrito) 
sp. - Espécies 
sp. aff. - Espécie com afinidade para ..., ou perto ... ('aff sp.'. Obs. não deve ser usado) 
sp. novembro - Espécies novus - uma espécie recém-descritas ('. Novembro. Sp' Obs. não deve ser usado) 
spp. - Espécies (plural)
ssp. - (Não preferido - ver subsp.
subg. - Subgênero 
subsp. - Subespécie
subspp. - Subespécie (plural) 
syn. - Sinônimo 
var. - Variedade 
Abreviações de palavras em itálico pode ser em itálico, porém eles são muitas vezes melhor não itálico, a fim de proporcionar um contraste com os nomes do gênero (em itálico) e espécies. 
Por exemplo, Eucalyptus smithii s. lat. 
Note-se que nos casos em que um nome genérico foi escrito por extenso em um papel e é inequívoca a fazê-lo, é aceitável para abreviar o gênero à sua letra inicial maiúscula. Este forma de abreviatura deve, contudo, ser usados ​​com moderação e apenas quando inequívoca e nunca em um banco de dados ou planilha. 
por exemplo, M. uncinata de Melaleuca uncinata.
Glossário: 
circunscrição: os personagens e outras informações usadas para descrever e definir um dado taxon e que separa desse taxon de todo outros taxa. 
classe: a classificação taxonômico principal, entre ordem e divisão. 
divisão: a classificação taxonômica importante dentro do reino vegetal. Nome alternativo para filo. A classificação taxonômica grande abaixo reino. 
epíteto: a porção (ou espécie), segundo um nome binomial consistindo de um nome genérico e epíteto espécies, ou a parte de uma infra-trinômio consistindo de um nome genérico, um espécies epíteto e um epíteto infraespecíficos, etc 
gênero: um grupo de espécies relacionadas geralmente claramente separáveis ​​de outros tais grupos, ou um único espécies sem parentes próximos; do Ranking taxonômico principal entre espécies e família. Plural: gêneros. 
família: um grupo de um para muitos gêneros relacionados, geralmente claramente separável da outra tal grupos: o Ranking taxonômico principal entre gênero e ordem. Com plantas, geralmente leva a final - aceae com animais, - idae. 
Reino: o posto mais alto na hierarquia taxonômica. 
nomenclatura: a ciência de dar um nome a uma entidade taxonômica. 
ordem: um agrupamento taxonômico das famílias acreditavam ser estreitamente associado (por vezes, um único família sem parentes próximos aparentes), a classificação taxonômica principal entre a família e classe. 
filo: a classificação taxonômica importante dentro do Reino Animal. Nome alternativo para divisão, a classificação taxonômica grande abaixo reino. 
classificação: a posição ou nível da hierarquia taxonômica.
espécies: um táxon compreendendo uma ou mais populações de indivíduos capazes de cruzar de produzir descendentes férteis. Plural: espécies. 
Espadilha: Perfil de espécies e banco de dados ameaças. Espécies Ambiente e Austrália comunidades de banco de dados. 
subespécies: o posto principal abaixo espécies de plantas, e o grau apenas formal abaixo espécies em animais. 
taxon: um grupo ou categoria, em qualquer nível, em um sistema de classificação para as plantas ou animais (por exemplo, um entidade a um nível de espécie, a nível de gênero, a nível familiar, etc tudo pode ser chamado de um taxon). Plural: táxons. 
taxonomia: A ciência da classificação, descrever e caracterizar diferentes taxa de plantas, animais e outros organismos. 
variedade: a classificação taxonômica abaixo do nível de subespécie utilizados para as plantas.
Fonte: http://www.environment.gov.au/erin/documentation/pubs/nomenclature.pdf

30 de nov de 2012

As cores de Outono no Japão

No meu espaço verde, além de plantas, em algumas postagens coloco fotos de paisagens, referente aos meus passeios pelo Japão. Nesta oportunidade fui até a província de Tochigi na cidade de Nikko. (Nikko significa literalmente "luz do sol"). Uma região fria e montanhosa é considerado um dos locais famosos para turismo. Na estação de Outono as folhas mudam de cor para ganhar uma variedade de tons que colorem as paisagens. Tem cachoeiras e a mais famosa é a Cachoeira Kengo. A cidade de Nikko também guarda um dos maiores tesouros arquitetônicos do Japão. 
Tochigi, Nikko, Lago Chuzenji, Outono 2012, Japão

Tochigi, Nikko, Lago Chuzenji, Outono 2012, Japão

Tochigi, Nikko National Park, Outono 2012, Japão

Tochigi, Nikko National Park, Kegon falls, Outono 2012, Japão

Tochigi, Nikko, Toshogu Santuários e Templos, Outono 2012, Japão
Tochigi, Nikko, Patrimônio arquitetônico do Japão, Outono 2012
 Cores de Outono que embelezam as montanhas, da região de Nikko,Tochigi, Japão 2012 
Pequena exposição de Crisântemos -  Nikko, Tochigi, Japão, Outono 2012
Sites interessantes com mais informações da cidade de Nikko, sobre a história, a cultura e fotos.
Tempo de Outono
É Outono. A Natureza está diferente e veste-se em todo o seu esplendor...
As árvores ficam em tons de laranja, vermelho, castanho, amarelo e verde parece que a paleta de um pintor passou pela natureza deixando esta diversidade de cores...
Aparecem as primeiras chuvas e o sol começa a arrefecer os dias. As folhas caem formando tapetes coloridos de uma beleza única.
Gosto do Outono e de observar esta mudança da natureza, do cheiro da terra molhada, da chuva a bater na vidraça.
É tempo das aves partirem em busca do sol e do alimento noutras paragens. Estes ciclos da Natureza despertam em mim o sentido de mudança e da beleza que a Natureza oferece.  
(Carlos Alberto Borges)

23 de nov de 2012

Crassula argentea variegata (Crassulaceae)

Crassula argentea variegata (Crassulaceae)

Da minha coleção de plantas suculentas, a Crassula argentea variegata, é uma das suculentas que cresceu bem, ficou tão alta, que suas folhas grossas e grandes começaram a pesar fazendo que o caule que, apesar de ter uma boa grossura e dureza penderem para os lados. Foi necessário colocar um suporte na haste. E  do caule vão nascendo novas hastes, e quando necessário fixo mais suporte. Agora se mantém retas e firmes. Eu dividi a muda quando percebi que a medida que vai se desenvolvendo as folhas maiores comprimem as menores e, agora estou com dois vasos dessa suculenta. As folhas largas são duras tem formato ovalado, levemente achatado e a extremidade é suavemente pontuda. Interessante que essa suculenta tem uma coloração diversificada entre as folhas. Em algumas predomina o verde, outras tem mesclas listradas de verde e marfim. Dependendo em algumas em suas bordas surgem matizes em tom rosa que, ficam mais escuras, quase rosa-púrpura, do lado de baixo das folhas. Do peitoril da janela, recebe a luz do sol, todas as manhãs, por 3 horas. Pesquisando sobre essa suculenta percebo que recebe nomes diferentes, como Crassula ovata variegata, Crassula ovata ssp. obliqua f. variegata cv. Tricolor, Crassula ovata cv. Tricolor (var. obliqua f. variegata), Crassula obliqua variegata.  Em alguns sites designam como sinônimos, então é compreensível a variações na nomenclatura dessa suculenta. 

Crassula - Existem aproximadamente 130 crassulas diferentes, o mais comum é a planta Jade. Eles são os produtores de inverno e têm belas flores rosa. Eu permito a chuva molhar as crassulas no inverno. Durante o tempo em que não temos chuva rego a cada 2 semanas. Deixo minhas plantas me dizer o que eles precisam. Deixe a Crassula murchar quando eles precisam de água, para assistir e ver. Deixe suas plantas lhe dizer o que eles precisam. Na Primavera fertilizar uma vez por mês. Crassula são constituídos por basicamente dois grupos. O grupo arbustivo, que inclui as plantas Jade. O outro grupo inclui tipos menores e miniaturas. Essas plantas, na sua maior parte, são muito pequenas e de crescimento lento com hastes escondidos cobertos com espessas e endurecidas, folhas empilhadas. Crassulas preferem o solo muito poroso e, é preferível regar bem e permitir o solo secar ligeiramente entre regas. Eles gozam de condições de verão fresco, boa luz, e boa circulação de ar. Alto calor no verão, quando estão adormecidos, irá causar muitas vezes quedas nas folhas inferiores. Crassulas precisam de calor de inverno e, não vai estar bem se mantido úmido e frio. Muito tipos de suculentas devem ser regadas com bastante moderação, como eles armazenam água em suas folhas altamente suculentas irão apodrecer, se excessivamente regado. Uma quantidade muito pequena de fertilizante diluído com água misturada com pouca frequência (uma vez por mês ou menos freqüentemente) se lhes convier. 
Fonte: http://www.succulents.us/crassula.html
Neste site encontrei várias espécies, da Crassula ovata. São semelhantes com suas variações. http://davesgarden.com/guides/pf/b/Crassulaceae/Crassula/Ovata/cultivar/0/#b

“Como a natureza sabe, sem diversidade não existe evolução.” (Isaias Raw)

20 de nov de 2012

Crassula portulacea 'Gollum' (Crassulaceae)

Crassula portulacea 'Gollum' (Crassulaceae )
Quando comecei a me interessar por suculentas descobri que há muitas espécies, e a cada vez, ao descobrir uma nova espécie, queria para minha coleção. O gênero Crassulas tem espécies bem variadas em formas, tamanhos e cores. A Crassula portulacea 'Gollum' , me chamou a atenção pelo formato peculiar em que suas pequenas folhas bem juntas, fazem dessa suculenta uma planta diferente, que tem o aspecto de corais. A princípio não se define, intriga. Observando melhor começa a notar certa semelhança, conforme variação da formação das folhas, que tem o mesmo formato tubular de algumas flores. Cada vez mais gosto e me deixa curiosa. A tonalidade verde escuro nas folhas e nas extremidades das bordas arrendondadas, um tom avermelhado, dão um toque singular nesta suculenta. As folhas não crescem muito de tamanho em relação as outras espécies de suculentas mas, a planta vai ganhando novas ramificações e novas folhas que lentamente vão crescendo e aumentando o seu volume. No início eram dois pequenos cachos de muda. Com o tempo ficaram pesadas e fixei suporte no caule, mantendo-as eretas. Também é uma suculenta que fica no peitoril da janela, pois é um local que bate o sol da manhã por umas 3 horas. A maioria das minhas suculentas são regadas 1 vez por semana. Procuro não deixar água nos pratinhos e giro os vasos. Se deixar o vaso na mesma posição, as plantas pendem de um lado e fica com visual inclinado. É a tendência natural das plantas para seu desenvolvimento, buscar o lado que está a luz do sol.
 Crassulas
Este grande grupo são nativos da África do Sul e Madagascar. Suculentas deste grupo variam consideravelmente em tamanho, forma e cor. Algumas variedades crescem apenas uma polegada de altura na maturidade, enquanto outros se tornam grandes arbustos.
DICAS DE CULTIVO
Facilmente cultivada, Crassulas requerem uma mistura de drenagem livre e boa luz para mantê-los compacto, incentivar a cor da folha bem e promover a floração. Água regularmente durante a primavera eo verão, então reduzir a rega durante os meses de inverno. Como as plantas crescem eles podem se tornar desarrumado, e deve ser cortado muito curto ou reiniciado a partir de estacas. Tolerante à seca. Propenso a cochonilhas.

Sites interessantes sobre a Crassula portulacea Gollum
“A Natureza revela-se como força potentíssima, majestade inesgotável de energias 
que usa de grande variedade na sua ordem e na criação das coisas.” (Duarte Pacheco)

16 de nov de 2012

X Pachyveria scheideckeri (Híbrido - Pachyphytum bracteosum X Echeveria secunda) (Crassulaceae)

Pachyveria scheideckeri  (Híbrido - Pachyphytum bracteosum X Echeveria secunda) (Crassulaceae)
Para fazer parte da minha coleção de plantas suculentas, escolhi uma suculenta, do qual fui descobrir que é  originária de cruzamento do gênero Pachyphytum com gênero Echeveria, quando fui pesquisar, como de costume. E dessa hibridação resultou nessa linda suculenta. Aprecio muito, pois cada suculenta tem sua característica peculiar. A disposição de suas folhas em forma de roseta (que umas das minhas preferidas), em tonalidade verde azulado com suave nuance rosácea nas extremidades, a tornam uma suculenta bem atraente. Lembro que quando comprei as folhas eram um pouco diferentes do que estão agora, pareciam mais abertas e não havia a matiz rosácea, nas bordas. É interessante como algumas suculentas de um jeito sutil, passam por variações com o tempo e pela exposição do sol.
Pachyveria 
Pachyverias são híbridos, são um cruzamento entre Pachyphytum e Echeveria. Suculentas neste género tipicamente têm rosetas grossas e coloridas. 
DICAS DE CULTIVO produtores de verão. Plantas resistentes requerem livre-drenagem mistura e verão regular. Mínimo de água no inverno. Eles amam a pleno sol e são tolerantes à seca. 
Fonte: http://www.thesucculentgarden.com.au/pachv.html

Os híbridos: Pachyverias (ou Pachyverias ) também são mais comuns do que no cultivo do gênero pai principal (Pachyphytum), mas há muito menos destas, em termos de diversidade do que há Graptoverias. Sobre o único que é comum no cultivo é Pachyveria glauca, um híbrido de Pachyphytum compactum e Echeveria craigiana. Esta é uma planta muito mais durável do que o seu pai Pachyphytum, continua a perder as folhas com facilidade, mas segurando um vasto número mais. É uma planta distintamente azulado com um tronco curto. Vista em centros de jardinagem e de casas, ao lado de seu pai Pachyphytum, é uma planta tão mais bonito, flores são como da Echeveria...caso contrário, poderia supor que fossem a mesma planta, apenas com melhor aparência.
Fonte: http://davesgarden.com/guides/articles/view/1441/

Híbrido por Peter Scheidecker *, em Munique, por volta de 1870, os pais são Pachyphytum bracteosum e Echeveria secunda. Uma planta muito comum que as flores florescem várias vezes por ano. A forma normal tem folhas brancas listradas, há também uma variegada e uma forma de crista. (* Nota:. Van Keppel erra,  x P. 'Scheideckeri' é um híbrido por Louis de Smet, não por Peter Scheidecker MB)
Mais detalhes e informações da suculenta Pachyveria scheideckeri, neste site 
Fontehttp://www.smgrowers.com/products/plants/plantdisplay.asp?plant_id=3565
''Em todas as coisas da natureza existe algo de maravilhoso.'' (Aristóteles)